FOME DE VERDADE ou VONTADE DE COMER???

Jejum e fome

O jejum aumenta sua fome em dimensões inimagináveis ​​e incontroláveis? Muitas vezes, o jejum é retratado assim, mas será que isso é verdade?

Do ponto de vista puramente prático, não é.

O que acontece na maioria dos praticantes de Jejum Intermitente é a redução, não o aumento da fome.

A percepção errada mais comum sobre o jejum é que nos deixará com muita fome e, portanto, propensos a excessos após o Jejum. É normal até mesmo alguns "especialistas" darem declarações como "Não pense em jejum, caso contrário você ficará com tanta fome que vai se encher de doces depois".

Esses "especialistas" geralmente têm experiência zero com o jejum pessoalmente ou com clientes...

Então, o que realmente acontece com a fome?

Aproximadamente 4 a 8 horas depois de comermos uma refeição, começamos a sentir "sensação de fome" e podemos ficar ligeiramente irritadiços. Ocasionalmente, essa sensação pode ser bastante forte. Então, imaginamos que jejum durante 24 horas completas cria sensações de fome 5 vezes mais fortes - e isso seria intolerável.

Mas isso é exatamente o que NÃO acontece.

Fome - Uma resposta condicionada

A fome é, de fato, um estado altamente sugestionável. Ou seja, podemos não estar com fome, mas depois de cheirar um bife e ouvi-lo chiar na panela, podemos nos tornar bastante vorazes.

A fome também é um fenômeno aprendido, como demonstrado pelas experiências clássicas dos cães de Pavlov - conhecidos em psicologia como condicionamento pavloviano ou clássico.

Na década de 1890, Ivan Pavlov estava estudando a salivação em cães. Os cães salivam quando veem comida e esperam comer (estímulo incondicionado - UCS) - isto é, essa reação ocorre naturalmente e sem ensinar. Em seus experimentos, os assistentes de laboratório iam alimentar os cães e os cães logo começaram a associar coletes de laboratório (estímulo condicionado -CS) com comida.

Não há nada intrinsecamente apetitoso em um homem com uma bata de laboratório, mas a associação consistente entre o casaco de laboratório e os alimentos emparelharam esses dois na mente do cão.

Logo, os cães começaram a salivar quando viam os casacos de laboratório sozinhos (sendo agora condicionados) mesmo que a comida não estivesse disponível.

Ivan Pavlov, gênio que era, percebeu essa associação e começou a trabalhar com sinos e, ao emparelhar sinos e comida, os cães começaram a antecipar a fome (salivar) aos sons de sinos, mesmo sem ver qualquer comida.

Esta foi a resposta condicionada

A aplicabilidade desta lição da Psicologia à fome é óbvia. Ou seja, podemos ficar com fome por muitas razões - algumas das quais são naturais (cheiro de bife, de comida sendo feita) e outras razões que já se tornaram condicionados em nós.

Essas respostas condicionadas podem ser muito poderosas e causar grande fome. Se comemos constantemente café da manhã todas as manhãs às 7:00, almoço às 12:00 e jantar às 6:00 da tarde, então a hora do dia se torna um estímulo condicionado para comer. Mesmo que tivéssemos uma refeição enorme no jantar na noite anterior, e não estivermos com fome de manhã, podemos nos sentir "com fome" porque são 7:00.

O Estímulo Condicionado (tempo de 7:00) causa a Resposta Condicionada (fome).

Estamos condicionados a pensar constantemente sobre alimentos

Da mesma forma, se começarmos a emparelhar o ato de assistir um filme com deliciosas pipoca e bebidas açucaradas, então o simples pensamento de um filme pode nos tornar famintos apesar de já termos comido e não estarmos com fome. O filme é o estímulo condicionado.

As empresas de alimentos, é claro, gastam bilhões de dólares tentando aumentar o número de CS (estímulos condicionados) para nos deixar com "fome". A Resposta Condicionada é fome de pipoca, batatas fritas, cachorros quentes, refrigerantes, etc.

Comida no jogo de bola! Comida com filmes! Comida com TV! Comida entre as metades do futebol das crianças! Alimento enquanto escuta uma palestra! Comida nos concertos! Você pode comer em qualquer lugar... Você pode comer em um barco. Você pode comer em uma casa. Você pode comer na frente do computador, na frente da TV, etc. Respostas condicionadas, cada uma.

Como combater isso? Bem, o jejum intermitente oferece uma solução única. Ao nos alimentarmos aleatoriamente e variarmos os intervalos em que comemos, podemos quebrar nosso hábito atual de alimentação 3 vezes por dia. Já não teremos uma resposta condicionada de fome a cada 3-5 horas. Nós não nos tornamos mais famintos simplesmente porque o relógio mostra 12:00. Em vez disso, nós ainda receberíamos a resposta incondicionada da fome. Ou seja, "você fica com fome porque está com fome", ao invés de "ficar com fome porque é meio dia".

Da mesma forma, ao não comer durante todo o dia, podemos quebrar qualquer associação entre comida e qualquer outra coisa - TV, filmes, passeios de carro, jogo de bola etc. Aqui está a solução. Coma apenas nas refeições e na mesa. Não comer na estação do seu computador. Não comer no carro. Não comer no sofá. Não comer na cama. Não comer na sala de conferências. Não comer no jogo de bola. Não comer no banheiro. (OK, esse último é grosseiro, mas eu já vi isso!).

Nosso ambiente de comida ocidental atual, é claro, se esforça para fazer o contrário. Há uma cafeteria ou restaurante de fast food em todos os cantos. Existem máquinas de venda automática em muitos hospitais, empresas, etc. Em cada conferência, cada hora de descanso é contemplada com café, bolachas, petiscos.

Quebrando o hábito

Uma das principais vantagens do jejum é a capacidade de quebrar todas essas respostas condicionadas. Se você não está acostumado a comer a cada 4 horas, então você não começará a salivar como o cachorro de Pavlov a cada 4 horas. Se estamos condicionados desta forma, não é de admirar que achamos cada vez mais difícil resistir a todas as lojas Mcdonald's do caminho. Somos bombardeados diariamente com imagens de alimentos, referências à comida e lojas de comida. A combinação de sua conveniência e nossa resposta Pavloviana arraigada é mortal e engorda.

Com relação aos hábitos, pensemos na analogia que para substituir um peru quente e macio, o peru frio não é uma boa alternativa...

Em vez disso, é muito melhor substituir um hábito por outro hábito menos prejudicial. Por exemplo, suponha que você tenha o hábito de comer quando assiste TV - batatas fritas ou pipoca ou nozes. Simplesmente deixar de comer essas coisas, deixa você sentir que algo está "faltando".

Em vez disso, substitua esse hábito de lanchar com o hábito de beber uma xícara de chá de ervas ou verde. Sim, você achará isso estranho no início, mas você vai ter também menos sensações de que algo está "faltando".

Durante o jejum, você pode, ao invés de esquecer completamente o almoço, beber uma grande xícara de café. Mesmo no café da manhã. Ou talvez substitua o jantar com uma tigela de caldo de osso caseiro. Será mais fácil a longo prazo. Isto é, claro, a mesma estratégia usada por pessoas que desejam parar de fumar, quando mastigam chicletes nos momentos em que fumariam!

A influência social também pode desempenhar um papel importante na alimentação. Quando nos juntamos com os amigos, muitas vezes é para fazer uma refeição, café, ou algum evento alimentares. Isso é normal, natural e parte da cultura humana em todo o mundo. Tentar lutar contra isso não é uma estratégia vencedora. Evitar situações sociais também não é saudável.

Então o que fazer? Simples. Não tente lutar contra isso. Ajustar o jejum em sua agenda. Se você sabe que vai comer uma grande refeição em algum evento social, pule o café da manhã e o almoço.

Alías...uma das maneiras mais fáceis de se adaptar ao jejum em sua vida é ignorar o café da manhã, uma vez que essa refeição normalmente não é feita com outras pessoas, ou seja é fácil de ignorar sem que ninguém perceba. Isso permitirá facilmente jejuar por 16 horas (protocolo 16: 8).

Além disso, a menos que você saia para almoçar todos os dias com a mesma multidão, o almoço também é bastante fácil de pular, sem que ninguém perceba durante o dia do trabalho. Isso permite que você consiga um jejum de 24 horas sem nenhum esforço especial.

Então, em essência, existem dois componentes importantes para a fome:

-Os estímulos biológicos incondicionais : a parte que normalmente estimula a fome naturalmente (cheiros, vistas e gostos de alimentos)

-Os estímulos condicionados (aprendidos - filme, palestra, jogo de bola). Estes CS não são fome de verdade, mas, através de uma associação consistente, tornaram-se quase tão poderosos quanto a fome de verdade! Ou seja, o filme, a TV, a visão do McDonalds, o som de um jingle, etc. Eles se tornaram irremediavelmente entrelaçados, mas eles não são irreversíveis. Basta mudar sua resposta a eles (beber chá verde em vez de comer pipoca).

O jejum ajuda a quebrar todos os estímulos condicionados e, assim, ajuda a reduzir, não aumentar a fome.

Então - aqui está a verdadeira pergunta - o jejum leva a comer demais? Isso foi respondido em um estudo publicado em 2002 : 24 indivíduos saudáveis ​​passaram um jejum de 36 horas e, em seguida, a ingestão calórica foi medida. Na linha de base, os indivíduos comeram 2.436 calorias por dia. Após um jejum de 36 horas, houve um aumento na ingestão calórica para 2914 calorias. Por isso, houve um certo excesso de consumo - quase 20%. No entanto, ao longo do período de 2 dias, ainda havia um déficit líquido de 1.958 calorias em cada indivíduo. Assim, a quantidade de "sobrecomida" quase não compensou o período de tempo em jejum. Eles concluiram que "um jejum de 36 horas ... não induziu um estímulo poderoso e incondicional para compensar no dia subseqüente".

Ou seja: NÃO, o jejum não leva a excessos. Não, você NÃO ficará sobrecarregado com fome. SIM, você pode jejuar!

Traduzido e adaptado do site Diet Doctor - Como Perder Peso?, por Kathlen Lclb

Já faz parte do nosso Grupo no Facebook?? Não?? Então corre lá!!!

www.facebook.com/groups/lowcarlifestylebrasil/

Siga-nos no Insta!!

www.instagram.com/lowcarblifestylebrasil/

#fome #lowcarb #vontadedecomer #artigo

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram_2016_icon