Gordura faz mal???

Você já deve ter ouvido falar que toda e qualquer gordura faz mal para o nosso corpo, além ser um dos principais causadores da obesidade, certo? MAS ESTÁ ERRADO!


A gordura, que antes fazia parte da lista de proibitivos de quem buscava por uma vida mais saudável, hoje já recebeu estudos e comprovações de seus benefícios!


Para discorrer sobre o assunto, é necessário entendermos um pouco sobre o colesterol em nosso organismo: o colesterol é um tipo de gordura produzida no fígado que está presente em todas as células do corpo e exerce importantes funções no organismo.


Grande parte do colesterol que circula no sangue é produzido pelo fígado, enquanto que o restante provém da alimentação.


Para ser transportado pelo sangue, o colesterol precisa se ligar as substâncias chamadas lipoproteínas, uma vez que o sangue é aquoso e o colesterol é gorduroso, ou seja, não se misturam.


As lipoproteínas são formadas por gordura (lipídios) no interior e proteínas no exterior. As principais lipoproteínas que transportam o colesterol são a LDL, a HDL e a VLDL.

HDL é o chamado "Bom colesterol": quanto maior seus níveis, menor a probabilidade da pessoa desenvolver uma doença cardíaca.


LDL é o chamado "Mal colesterol": altos níveis de colesterol LDL levam a um acúmulo de colesterol nas artérias. Quanto maior o nível de LDL no sangue, maior é a chance do indivíduo desenvolver uma doença cardíaca.

O equívoco que por anos condenou a gordura em nossa alimentação, apontava que o consumo de gorduras saturadas (encontrada mais em produtos de origem animal) aumentava o colesterol ruim, entupia artérias e aumentava a chance de problemas cardíacos. Então a recomendação usual era trocar as gorduras saturadas por gorduras insaturadas (existente principalmente em produtos de origem vegetal), e consumir óleos vegetais extraídos de sementes e margarina, no lugar de manteiga e banha de porco, extraídos dos animais.


GORDURAS SATURADAS:

GORDURAS INSATURADAS:

Porém, estudos recentes já derrubaram por terra muitas afirmações, e comprovaram que na verdade, o que nos faz mal não são as gorduras saturadas, e sim as gorduras trans (que são gorduras artificiais criadas pela indústria e servem para melhorar o sabor dos alimentos e aumentar seu prazo de validade).


GORDURAS TRANS:

Em 2014, um grande estudo foi publicado na revista Annals of Internal Medicine, e as conclusões foram as seguintes:

  • Não há evidências de que a gordura saturada na dieta aumente o risco de ataques cardíacos ou de quaisquer outros eventos cardiovasculares;

  • Não há evidências de que o consumo de gorduras insaturadas proteja contra doenças cardíacas;

  • Gorduras trans são as que realmente fazem mal;

  • Gordura saturada até pode aumentar o LDL, mas aumenta também o HDL, e o TIPO de LDL transforma-se em LDL padrão A (partículas maiores, menos densas, menos oxidadas, e menos aterogênicas, isto é, uma partícula de LDL que não é propensa a se acumular nas artérias);

  • Ao analisar as concentrações de ácidos graxos específicos na corrente sanguínea, os pesquisadores acharam:

  • O ácido margárico, uma gordura saturada presente na manteiga e outros laticínios gordos, estava associado a MENOR risco cardiovascular;

  • EPA e DHA (ômega-3) estava associado a MENOR risco;

  • Vários ácidos graxos ômega-6 estavam associados com MAIOR risco (=óleos vegetais!!)

Entre as muitas notícias publicadas a respeito do assunto na época, destaco os comentários do Dr. Chowdhury, publicados no New York Times de 18/04/2014: "As partículas pequenas, entupidoras de artérias, não aumentam por causa da gordura saturada, e sim por alimentos com açúcar e pelo excesso de carboidratos. É a dieta de alto carboidrato, é o açúcar que deveria ser o foco das diretrizes nutricionais. Se há algo que está produzindo alterações adversas em seu LDL, são os CARBOIDRATOS."

Concluindo, deixo aqui registrado o que o Professor de Nutrição da Universidade Harvard, Frank Hu, e um dos principais pesquisadores sobre alimentação no mundo, disse ao jornal americano The New York Times: "As pessoas não devem avaliar o consumo de determinados nutrientes como algo isolado. Isso porque um indivíduo, ao retirar a gordura saturada da dieta, por exemplo, pode acabar consumindo mais pães, massas e outros carboidratos refinados, o que, em exagero, também faz mal ao coração. Acredito que no futuro as recomendações alimentares darão mais ênfase à comida real em vez de simplesmente impor limites ou proibir a ingestão de certos nutrientes."


Portanto, se você quer ser saudável, a dica é simples: coma comida de verdade!! Gorduras vindas de alimentos de verdade e não de dentro de fábricas, não farão mal a seu coração!!


#artigo #gordura

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram_2016_icon